Semanalmente os  melhores métodos, ferramentas e técnicas
para conseguir alcançar TODO SEU POTENCIAL.
Acompanhe AQUI nossos artigos!

 

Receba em
PRIMEIRA MÃO
nossos artigos e
muitas novidades.
CADASTRE-SE!

Respeitamos sua privacidade, NUNCA enviamos spam!

Importantes aspectos e questões da abordagem Hipnossistêmica

14/01/2019

A – Como padrões repetitivos são construídos e mantidos em contextos sistêmicos (por exemplo, família, organização, grupos, etc.), por processos circulares os quais têm efeito (consciente e inconscientemente) de ativar redes de conexões específicas de experiência e comportamento?

B – Como funcionam esses tipos de processos de experiência e de comportamento, novamente, de forma circular (como processos de feedback) para re-estabilizar essas redes específicas de experiência e comportamento?

C – Como o sistema interno (interior) de experiências é influenciado por esses tipos de processos circulares? (feedback circular – “feedback-loops” entre sistemas interacionais e internos).

D – Pergunta centra derivada desses aspectos:

Como os sistemas interno e externo (interação) podem ser organizados de forma a que as pessoas possam ativar suas competências de objetivo com poder contínuo e que as melhores interações dentro dos sistemas organizacionais e do ambiente ecossistêmico se tornem possíveis?

Tarefas centrais da abordagem Hipnossistêmicas, que resultam dessas perspectivas

1 – Em primeiro lugar o terapeuta/coach sempre tem que respeitar o fato de que uma pessoa é involuntariamente muito identificada com o processo de experiência que está dominado no momento do encontro com o terapeuta/coach.

Quando alguém encontra um terapeuta/coach, pois nesse momento sofre de algo que a experiência o traz, no início e sempre, deverá ser respondido e acompanhado respeitosamente e com muita empatia.

Isso significa que, em primeiro lugar, os terapeutas/coachs não devem tentar oferecer ideias e intervenções para mudança porque o “ego-sofredor” não sente as habilidades para gerenciar essa mudança, mesmo que ela a queira profundamente!

A tarefa mais importante é a do início da cooperação (e também no processo em andamento) aceitar de forma sustentada a experiência momentânea da pessoa.

Estabelecer a empatia através da calibração, é muito mais do que uma técnica, é uma atitude respeitosa, apreciadora e atenta ao se relacionar com as pessoas.

2 – Convidar/apoiar os processos de foco da atenção, o que torna possível imaginar as experiências desejadas e assim ajudar a ativar essas experiências = indução das experiências-solução.

3 – Interromper / transformar processos involuntários indesejados de “problema-transe” e redirecionar o foco da atenção para os processos de experiência desejados = Extração para fora do “problema-transe”.

4 – Ajustar esses processos da maneira ideal com os efeitos desse, nos sistemas interacionais das pessoas (porque à “problemas e soluções tem efeitos diretos e intensivos” em todas as relações relevantes das pessoas.

Direcionando o foco da atenção

Porque todo tipo de experiência sempre é resultado de foco de atenção (em todos os nossos sentidos: visual, auditivo, sinestésico, olfatório, gustativo), a questão central sempre é:

Em que direção (isso significa em quais processos de experiência, em que recursos / em que padrões de competência) devemos direcionar o foco, para que possamos ativar a experiência desejada de forma a servir o objetivo?

  • A questão não é “por que? ”, mas “EM QUE DIREÇÃO? ”.
  • A questão não é “de onde vem? ”, mas “Em que direção o desenvolvimento deveria ir?”
  • A questão não é “Como o sistema é organizado? ”, mas “Como o sistema deve ser organizado para resultar nas experiências desejadas? ”

 “Quais os padrões de experiências competentes e a serviço do objetivo já estão armazenados no repertório inconsciente de experiências? E como eles podem ser utilizados? ”

Do ponto de vista Hipnossistêmico, não podemos dizer “há” um problema, porque se alguém experimenta um “problema”, isso mostra (como também mostra a pesquisa do cérebro moderna) que, neste momento, dentro da pessoa, dominam certos processos de experiência e construções de realidade (voluntária e involuntária) que trazem a impressão de que “existe” um problema.

“Problemas” e também “soluções” são expressões de padrões autoproduzidos (redes de experiências) que se influenciam de maneira circular (muitas vezes para se estabilizar ou mesmo resultar na escalada dos padrões.

Este sempre é um processo de Foco de atenção, nos diversos canais sensoriais (visual, auditivo, sinestésico, olfativo, gustativo).

A experiência é criada cada segundo de uma maneira nova por tais processos de atenção (voluntária e involuntariamente).

Aprofunde-se na Psicoterapia Hipnossistêmica, participe da Formacão da Insight DH. Saiba mais aqui.

E nos acompanhe no Facebook e Instagram .


LINEO-insight-desenvolvimento-humano

LINEO CARVALHO

Empreendedor, sócio fundador da Insight Desenvolvimento Humano, empresa que acredita na transformação de vidas...

Continue lendo »

andrea-insight-desenvolvimento-humano-150x150-square

ANDRÉA CARVALHO

Empresária e mãe, sócia da Insight Desenvolvimento Humano, com Formações Internacionais em Coaching Integrativo Sistêmico e Coaching Quântico...

Continue lendo »

Buscar no Blog

Receba em
PRIMEIRA MÃO
nossos artigos e
muitas novidades.
CADASTRE-SE!

Respeitamos sua privacidade, NUNCA enviamos spam!

logo-insight-desenvolvimento-humano-site001

:: Copyright © 2018 Insight Desenvolvimento Humano :: Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por:  WT Agile Marketing