Semanalmente os  melhores métodos, ferramentas e técnicas
para conseguir alcançar TODO SEU POTENCIAL.
Acompanhe AQUI nossos artigos!

 

Receba em
PRIMEIRA MÃO
nossos artigos e
muitas novidades.
CADASTRE-SE!

Respeitamos sua privacidade, NUNCA enviamos spam!

EFICIÊNCIA X PERFECCIONISMO

30/11/2018

Imagine que sou convidado para dar uma palestra sobre um determinado assunto. E a somatória de todo conhecimento mundial sobre esse assunto fosse de 200 peças de um quebra-cabeças.

Se eu sou perfeccionista, provavelmente ficarei me cobrando que eu tenho que falar sobre as 200 peças, iria tentar construir minha imagem para o público de que eu soubesse e dominasse tudo sobre as 200 peças mesmo sabendo que eu só domino apenas 4 peças desse quebra-cabeça.

Como já falamos antes sobre a necessidade do perfeccionismo e vaidade, o objetivo inconsciente de ter a aceitação e aprovação do público, de precisar me sentir poderoso, para sentir ser aceito e assim ficar protegido dos predadores.

Pré-programação

poder da mente

Eu entro no palco tentando passar uma imagem de mim,  que não é quem eu sou realmente, vou tentar falar sobre as 200 peças do quebra cabeça, como se eu fosse um especialista, como se eu detivesse o domínio sobre todo o conhecimento do mundo sobre o assunto, mas na verdade só domino apenas 4 peças.

Então a gente entra em uma auto cobrança, de passarmos uma imagem que somos perfeitos, como se soubéssemos de tudo. Quando eu não tenho consciência e segurança sobre o meu bem-estar, eu necessito da aprovação e validação das pessoas para me sentir bem.

O nosso conflito já começa na nossa pré-programação, e dessa forma eu fico vulnerável, me sinto inseguro, correndo o risco das pessoas possam me perguntar aquilo que eu não sei e me desmascarar.

E nessa programação, para me proteger, às vezes, eu preciso me apegar a slides, pois eu me agarrando em algo em relação a coisas que eu não sei, me desassociando da responsabilidade, lendo aqueles lindos slides e teorias e dizendo que foi fulano que falou. Estou atribuindo a responsabilidade ao slide, ao determinado autor,  é o autor quem está falando, não sou eu.

É como se fosse uma estratégia, se aprovarem fico bem e se alguém não concordar, não foi eu quem falei é o autor quem disse.

Então, sai um pouco da responsabilidade sobre a sua experiência. Mas esquecemos que as pessoas foram ali para aprender com a minhas experiências.

Uma programação mais eficiente seria, se a partir do momento em que foram me fazer a proposta para me contratar para a palestra, eu tivesse sido verdadeiro consigo mesmo e com o contratante.

– Eu aceito essa missão, desde que eu só fale sobre o que eu domino, só vou falar sobre as 4 peças que tenho conhecimento, pois é essa a minha experiência. Pois é somente até aí que eu tenho habilidade.

Automaticamente você fica relaxado, conectado com a segurança e sua confiança, pois irá apenas falar aquilo que domina.

Não quer dizer que está certo ou errado, é apenas a minha experiência.

Assim eu abro espaço para a vulnerabilidade, então quando alguém da plateia me faz uma pergunta que eu não sei, nessa pergunta eu vejo como uma oportunidade para aprender sobre uma nova peça do quebra cabeça que eu ainda não conheço.

A única chance que temos é aprender, assim crescemos e nos conectamos novamente com o sentido da vida, o movimento da mudança.

Esse exemplo deu para perceber que nós temos uma pré-programação de como nós vemos as coisas, e nessa pré-programação também irá ditar como nós iremos nos comportar com relação a isso.

E a partir do momento que eu passo a enxergar a situação por um novo ângulo, muda toda uma programação de como experencio, todo meu sistema muda.

Imagine que você está no cinema assistindo um filme de terror, e você sai da poltrona e entra dentro do filme de terror e virasse o ator do filme, a partir desse momento todos meus sentimentos e comportamentos são reações de sobrevivência da realidade de terror que você está vivendo.

Aí dentro do filme como ator, tentamos descobrir o porque estamos desmotivados e como faço para ter motivação. Por que tenho medo, angustia e como faço para tirar esses sentimentos limitantes de mim.

Geralmente pesquisamos, estudamos, fazemos terapia e passa momentaneamente. Depois de um certo tempo essas sensações voltam de novo.

Sabe porque volta?

Porque seu corpo apenas está reagindo a programação que você impôs, do filme de terror.

A partir do momento que percebo que eu não sou o ator do filme de terror, na verdade eu sou o diretor desse filme, eu posso dar um passo para trás e sair desse filme e voltar para a poltrona e observar de fora, em que nosso sistema de experiencias e emoções apenas estava reagindo a uma programação.

Percebe o potencial da criação de nossa mente? Se eu como diretor crio um filme de paz onde eu como ator dele ando no meio da natureza com o cantar dos passarinhos, com o barulho calmo da água do riacho, sentido o cheiro das rosas, meu sistema emocional e de experiências irá reagir a essa realidade que estou criando.

E muitas dessas reflexões eu vim trazendo dos animais, o leão pode fazer amizade com um cachorro, uma presa.

leão e cachorro

O leão não precisou fazer terapia para aceitar a presa, de alguma forma o olhar fraterno dele sobrepôs o instinto de sobrevivência, de se alimentar.

Se o animal tem essa força de mudança comportamental apenas mudando a forma de ver, por que nós seres humanos não temos essa capacidade de mudança, apenas mudando nossa forma de olhar?

E assim me despertou essa curiosidade de olhar por outras formas de como nós vemos as coisas. Às vezes ficamos tanto olhando para o passado, que talvez a solução seja apenas olhar a situação por um ângulo diferente.

Imagine que aqui tenha uma pessoa com fobia muito grande de aranha, e então eu falo para essa pessoa “atrás dessa porta de madeira tem uma aranha enorme, com a cara bem feia, com pelos enormes, e está avançando em direção a porta”. Ela vai abrir a porta?

Ela não vai abrir a porta mesmo nem vendo a aranha. E se nós paramos para entender como nós funcionamos.

É como se essa imagem desse monstro que eu construí, vai para uma parte de nosso cérebro chamado córtex visual, e quando essa imagem chega no córtex visual, nossa mente não sabe diferenciar, se eu estou realmente vendo esse monstro ou se eu estou imaginando esse monstro.

Então nossa mente vai buscar nos nossos arquivos de experiências, o significado, quando minha mente achou o arquivo e gaveta certa, ela viu que a aranha = perigo (tem o significado de perigo), geralmente por alguma experiência do passado que já passei de alguma forma.

Instantaneamente a nossa mente manda um sinal de alerta, por uma rota emergencial direta para uma ação mais rápida ligada à luta ou fuga, à fim de sobrevivência.

A primeira influência quando conectado a imagem da aranha com o significado negativo, vai influenciar meus pensamentos: a aranha vai me pegar, ela é perigosa.

Depois vai influenciar as minhas emoções: ansiedade, medo e angústia.

Depois vai influenciar minhas reações fisiológicas: ataque cárdia, frio na barriga, gagueira, etc.

Depois vai influenciar meus comportamentos: congelar, fugir.

Ou seja, o comportamento é negativo pois é apenas um resultado de uma pré-programação do meu sistema a partir de uma imaginação. Olha só o poder da nossa mente.

Percebe que a pessoa nem viu a aranha, a imaginação dela foi capaz de influenciar todo o seu sistema até chegar em seu comportamento.

Importante percebermos também que o comportamento é uma ação involuntária inconsciente e não tem nada a ver com o caráter da pessoa.

O trabalho é trazer cada vez mais para consciência para essa pré programação que antes era inconsciente de forma involuntária.

Essa pré-programação que tem como ponto de partida um significado de nossa imaginação, de nossa experiência de vida que a aranha é um bicho perigoso, e que é esse significado emocional que influencia nossas ações e reações.

Nossas ações mais influência de nosso mundo lúdico, nosso mundo da imaginação do que da realidade por si própria.

Para ter mais eficiência sobre a mudança comportamental é mais coerente termos a consciência da significância que os significados têm sobre o que eu estou fazendo.

A mudança comportamental será mais eficaz, rápida e duradoura quando não tentamos cegamente fazer um comportamento diferente, mas junto trazer a congruência de um novo significado para aquilo que queremos mudar.


LINEO-insight-desenvolvimento-humano

LINEO CARVALHO

Empreendedor, sócio fundador da Insight Desenvolvimento Humano, empresa que acredita na transformação de vidas...

Continue lendo »

andrea-insight-desenvolvimento-humano-150x150-square

ANDRÉA CARVALHO

Empresária e mãe, sócia da Insight Desenvolvimento Humano, com Formações Internacionais em Coaching Integrativo Sistêmico e Coaching Quântico...

Continue lendo »

Buscar no Blog

Receba em
PRIMEIRA MÃO
nossos artigos e
muitas novidades.
CADASTRE-SE!

Respeitamos sua privacidade, NUNCA enviamos spam!

logo-insight-desenvolvimento-humano-site001

:: Copyright © 2018 Insight Desenvolvimento Humano :: Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por:  WT Agile Marketing